Idaf assina termo de cessão de uso de terreno cedido pela Superintendência do Patrimônio da União para ampliação do instituto

Em ato na sede do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf), o diretor técnico do órgão, Alexandre Fernandes, recebeu  na manhã de terça-feira, 2, o superintendente do Patrimônio da União, Tiago Mourão, para assinar o termo aditivo ao contrato de cessão de uso gratuito do terreno para construção do novo prédio do Idaf, em Rio Branco. O ato contou com a presença do secretário de Agricultura, Luis Tchê, e do superintendente do Ministério da Agricultura e Pecuária, Paulo Trindade.

Objetivo do termo é a cessão de espaço físico em terreno urbano, com uma área construída de 4.862,67 m². Foto: José Caminha/Secom

O terreno, localizado na rodovia AC-40, Loteamento Santa Helena, visa à construção de dois galpões destinados aos departamentos de transporte e administrativo do instituto, com investimentos na ordem de R$ 4 milhões, provenientes de recursos próprios.

De acordo  com o diretor do órgão, Alexandre Fernandes, “o novo projeto trará mais qualidade de vida ao ambiente de trabalho e proporcionará um atendimento qualificado para o produtor rural, que muitas vezes vem de muito longe”.

Solenidade foi realizada na sede do Idaf, nesta terça-feira, 2. Foto: José Caminha/Secom

A assinatura do termo representa um passo significativo para o fortalecimento das atividades ligadas ao setor agropecuário e florestal na região, pois trata-se da ampliação da área cedida para 4.862,67 m² de capacidade logística e operacional.

“A expansão da infraestrutura contribuirá para o fortalecimento da cadeia produtiva agropecuária e florestal do Acre, promovendo o desenvolvimento de nossa região e a consequente geração de renda para a população local”, observou Tiago Mourão.

Reforma do prédio contemplará estrutura adequada ao crescimento das demandas. Foto: José Caminha/Secom

A parceria entre a Superintendência do Patrimônio da União e o Idaf ressalta a importância da cooperação entre diferentes esferas governamentais para o avanço de projetos estratégicos e a estruturação dos serviços públicos no estado, viabilizando o compromisso com o fortalecimento das instituições voltadas para o desenvolvimento rural.